Já faz um tempo que o ponto eletrônico ajuda diversas empresas a reduzir os custos, mas quem é um pouco mais vivido vai lembrar que antigamente era comum marcar a hora de entrar no trabalho nos famosos papéis de registro, que faziam parte dos livros de horas. 

Graças à tecnologia, o departamento de recursos humanos pode modernizar esse processo o tornando digital e hoje é possível registrar a entrada e saída do local de trabalho por meio da biometria, crachá e, caso o colaborador esteja de home office, o ponto eletrônico é feito a partir do aplicativo de celular ou por meio de um computador desktop. 

A modernização desse processo é necessária, para além de facilitar a rotina dos funcionários, também colaborar com o dia a dia do departamento de RH. Mas, ainda há empresas que não veem a necessidade de substituir o antigo método de pontuação pela nova tecnologia. 

Conheça a seguir 4 dicas para reduzir os custos da sua empresa com o ponto eletrônico e também o que acarreta não adaptar o registro de ponto para modelos mais atualizados.

Os perigos de ficar preso ao passado:

Não adaptar o ponto para um modelo mais tecnológico, pode gerar: 

  • Desperdício de tempo do RH; 
  • Risco de fraude;
  • Aumento de custos; 
  • Erro nas informações.

Então, para ajudar a visualizar como o ponto eletrônico pode ser uma boa solução. Confira nossas dicas:

1. Otimização de Recursos humanos

Ao adquirir o software de ponto eletrônico, o departamento de RH pode ter mais tempo para outras atividades consideradas prioritárias.

Dessa forma, a empresa ganha mais horas úteis de um departamento todo e é possível focar no melhor desenvolvimento de negócios entre funcionários e líderes.

2. Pontos eletrônicos proporcionam dados mais fiéis  

Com o surgimento dos ambientes de trabalho híbridos (presenciais e remotos), o ponto eletrônico está emergindo como uma forma de saber que o funcionário está a serviço da empresa independente de onde esteja.

Além de acompanhar o horário de trabalho, o ponto eletrônico também mede o desempenho de cada funcionário. Isso proporciona uma visão geral para gerentes de equipe.

Em caso de problemas com os processos de trabalho, o ponto eletrônico também fica comprovado, tanto para o funcionário quanto para o empresário. 

3. Economia de matérias 

Como há possibilidades para o relógio eletrônico por meio de reconhecimento facial e biometria, as informações sobre o funcionário são geradas e armazenadas na nuvem.

Essas duas formas de identificar o funcionário reduzem o uso de papel, beneficiando a empresa na redução de custos e do meio ambiente devido ao impacto do papel. Mas, também oferece a flexibilidade de criar relatórios para análise.

Como todos os documentos estão localizados no mesmo local, é fácil criar materiais com dados interessantes e abrangentes para a empresa.

4. Controle de férias e horas extras 

A Consolidação das Leis Trabalhistas prevê férias e limite de horas extras para funcionários desse sistema. Caso a empresa não cumpra essas regras estabelecidas, elas recebem uma multa de valor considerável. 

Dessa forma, o ponto eletrônico pode contribuir para que isso não aconteça, pois é possível monitorar de forma prática e simples quantas horas a mais o funcionário está realizando, e quando será o seu período de férias. 

Dica extra: conheça o Aponta Fácil

O Aponta Fácil, da EMotta, é um potente sistema de ponto digital, uma solução rápida e prática que reduz processos operacionais, auxilia no cumprimento de leis trabalhistas e, consequentemente, reduzir custos e gerar mais lucro para as empresas.

Este conteúdo foi útil para você? Leia também: Descomplicando as férias em 5 passos